Relato de viagem: Casa de Anne Frank em Amsterdam – Todas as dicas para visitar

0
Casa de Anne Frank em Amsterdam. Foto: © Anne Frank Stichting / Fotograaf: Cris Toala Olivares
Casa de Anne Frank em Amsterdam. Foto: © Anne Frank House / Photographer: Cris Toala Olivares

Visitar a Casa de Anne Frank em Amsterdam é um dos passeios mais emocionantes e essenciais para se fazer na cidade. A história real da jovem cujo diário virou um livro, mostra uma outra perspectiva da guerra e do nazismo, cujo cenário em Amsterdam nem todo mundo conhece.

Para quem não leu o livro, o “Diário de Anne Frank” conta a história de Anne, jovem de família judia que ficou escondida por anos, no sótão de uma casa em Amsterdam, fugindo do nazismo. A história, real, é contada através do diário da própria Anne Frank durante a 2ª Guerra, que mostra o ponto de vista dessa menina (que ao longo dos anos escondida, virou adolescente) desse triste capítulo da história mundial. Se você nunca leu o livro e vai para Amsterdam, recomendo muito que leia antes de ir! Irá mudar sua perspectiva da cidade e da própria visita ao local.

Museu no antigo esconderijo de Anne Frank. Foto:© Anne Frank House / Photographer: Cris Toala Olivares
Museu no antigo esconderijo de Anne Frank. Foto: © Anne Frank House / Photographer: Cris Toala Olivares

A casa de Anne Frank existe até hoje e virou esse lindo museu/memorial. Durante toda a visita aos andares do edifício que abrigou a família escondida, você fica margeando ao mesmo tempo a história mundial, bem como se aproxima intimamente da história daquelas pessoas. É muito emocionante. Veja mais sobre a visita e como ir abaixo.

1-) Como é a visita na Casa de Anne Frank

Casa de Anne Frank. Foto: © Anne Frank House / Photographer: Cris Toala Olivares
O edifício em Amsterdam onde ficou escondida Anne Frank existe até hoje e é onde está o museu. Foto: © Anne Frank House / Photographer: Cris Toala Olivares

A exposição da história de Anne e sua família, da guerra, do nazismo e de Amsterdam se dá em diversos andares pelo edifício real, onde a família ficou escondida.

O prédio era onde funcionava a antiga empresa do pai de Anne Frank, o Sr. Otto Frank. O museu hoje é formado pelo edifício principal e o anexo onde ficou a família, que além da exposição, abriga um café e uma livraria.

Toda a visita é guiada e em sequencia, sendo que há informações em português em livretos que são retirados logo na entrada que te guiam por todo o local. Na parte do térreo e primeiro andar era onde ficava a empresa do pai de Anne e a exposição é bem interativa, sobre a história do lugar e da guerra.

Diário real de Anne Frank exposto no museu. Foto:© Anne Frank House / Photographer: Cris Toala Olivares
Diário real de Anne Frank exposto no museu. Foto:© Anne Frank House / Photographer: Cris Toala Olivares

A parte mais emocionante, no entanto, é quando se entra no esconderijo, no anexo onde a família ficou escondida por anos. Para quem leu o diário, torna-se ainda mais emocionante, pois se visualiza ao vivo, a passagem secreta por de trás de uma estante de livros, onde todos ficaram escondidos.

Aqui é tudo muito pequeno, da íngreme e estreita escada de acesso, até os cômodos onde viveram as 8 pessoas, entre elas Anne Frank. Com janelas escurecidas, para não dar qualquer pista que se vivia ali, é duro pensar como aquelas pessoas passaram lá mais de 2 anos, em condições extremas, inclusive psicologicamente falando, tentando viver normalmente, mas sob risco e medo constante.

Acesso ao anexo secreto onde viveu Anne Frank por mais de 2 anos. Foto:© Anne Frank House / Photographer: Cris Toala Olivares
Acesso ao anexo secreto onde viveu Anne Frank por mais de 2 anos. Foto: © Anne Frank House / Photographer: Cris Toala Olivares

O quarto onde ficava Anne, é um dos cômodos mais importes e tocantes, já que quase tudo foi preservado, como as paredes, na qual colava pôsteres de artistas que gostava, como qualquer boa adolescente. O diário, original, também é mostrado, bem como objetos dos demais moradores. Vale reservar pelo menos 1 hora lá dentro para fazer a visita.

Para quem não sabe, dois anos depois de escondidos, uma denúncia anônima foi feita, ocasionando na descoberta dos 8 moradores, poucos meses antes do final da guerra. Todos, inclusive Anne Frank, foram levados a um campo de concentração, no qual somente o pai de Anne, Otto Frank sobreviveu.

Exposição na Casa de Anne Frank em Amsterdam. Foto:© Anne Frank House / Photographer: Cris Toala Olivares
Exposição na Casa de Anne Frank em Amsterdam. Foto: © Anne Frank House / Photographer: Cris Toala Olivares

Otto voltou ao local depois do final da guerra e descobriu então que toda sua família tinha morrido, mas o diário de Anne, escrito durante todos aqueles anos escondidos, tinha sido deixado no local. Depois de algum tempo, o pai resolveu publicar o diário e criar o museu, como forma de combate ao preconceito e a guerra, que o fez perder sua família. Relembrando e aprendendo com o passado é que podemos mudar o futuro, essa é uma das mensagens principais do museu.

2-) Ingresso para a Casa de Anne Frank

Fila na Casa de Anne Frank em Amsterdam. Foto: GC/Blog Vambora!
Fila na Casa de Anne Frank em Amsterdam. Foto: GC/Blog Vambora!

Praticamente 1 milhão de pessoas, todos os anos, visitam a Casa de Anne Frank, por isso antes de ir, vale comprar a entrada em horário reservado, com antecedência, pelo site oficial da Casa de Anne Frank. Idealmente é bom já ver o ingresso 3 meses ou mais antes da viagem, tamanha a procura.

É possível também comprar na hora, mas as filas são imensas (vide foto acima) e na alta temporada, a chance de não conseguir entrar é grande.

Quem não conseguir comprar o ingresso com antecedência, a melhor opção é tentar visitar a atração no final do dia e a noite. Como na alta temporada o local fecha às 22h, a chance de conseguir entrar nesse horário mais alternativo é maior.

Só que quem não tem ingresso nem adianta chegar muito cedo, pois das 9h manhã até às 15h30min, o museu fica aberto somente para visitantes que possuam o bilhete com hora marcada. Ou seja, sem ingresso, chegue só depois desse horário.

Fila para comprar ingresso para a Casa de Anne Frank em Amsterdam. Foto: GC/Blog Vambora!
Fila para comprar ingresso para a Casa de Anne Frank em Amsterdam. Foto: GC/Blog Vambora!

Esse por exemplo foi meu caso, que com 1 mês de antecedência não consegui comprar o ingresso e fui enfrentar a fila. Cheguei por volta das 16h e só consegui entrar 2h depois, isso porque era começo de abril num dia de semana. Na altíssima temporada, entre Maio e Agosto, quem não tem ingresso pode ficar mais tempo ainda na fila e muitas vezes nem conseguir entrar, por isso, comprar o ingresso com antecedência é o ideal.

Há inclusive placas na fila, que vão marcando o tempo médio de espera para quem não tem ingresso. Disponibilizam também até um wifi gratuito para “passar o tempo”, mas eu não consegui acessar 🙁 (não dava sinal).

O ingresso custa € 9,00 para adultos, € 4,50 para jovens de 10 a 17 anos e é gratuito para crianças de 0 a 9 anos. O ingresso online tem um acréscimo de € 0,50.

Existem também tours que combinam a entrada na Casa de Anne Frank com um passeio de barco por Amsterdam, podendo ser uma boa alternativa para quem não conseguir comprar ingresso pelo site e quer conhecer mais a cidade. Veja no site da Ticketbar.

3-) Dicas finais para visitar a Casa de Anne Frank em Amsterdam

Anexo secreto na Casa de Anne Frank em Amsterdam. Foto:© Anne Frank House / Photographer: Cris Toala Olivares
Anexo secreto na Casa de Anne Frank em Amsterdam. Foto: © Anne Frank House / Photographer: Cris Toala Olivares

-> Não é possível tirar fotos lá de dentro.

-> O cartão I Amsterdam City Card não possibilita entrada no museu, nem dá desconto.

-> Ao entrar na Casa de Anne Frank, já pegue o folheto com mais informações sobre a visita, indicando um percurso guiado. Ele ajuda a tornar a visita muito melhor e mais informativa, especialmente para quem não leu o diário. Tem em diversas línguas, inclusive em português.

-> O museu fica aberto de 01/04 até 31/10 das 9h às 22h horas. De 01/11 até 31/03, o horário é das 9h às 19h (aos Sábados, até as 21h). O limite de entrada é de 30 minutos antes do horário de fechamento. O museu só fecha no feriado de Yom Kipur e em alguns dias do ano (como Natal e 31/12) possui horários diferenciados de funcionamento, veja no site.

-> A Casa de Anne Frank fica numa região linda de Amsterdam, o bairro de Jordaan. Antes ou depois da visita ao museu, procure passear pelo local, vendo seus canais, edifícios e diversos bares e restaurantes charmosos. No site da Ticketbar é possível reservar um tour pelos canais de Amsterdam, incluindo entrada no museu.

Uma atração linda e emocionante. Vambora conhecer a Casa de Anne Frank em Amsterdam.

+ info: http://www.annefrank.org/pt/

*** Veja mais dicas de AMSTERDAM:
–  I amsterdam City Card: Cartão de desconto e transporte para conhecer Amsterdam
– Como visitar o Keukenhof, o lindo parque das flores pertinho de Amsterdam
– Ingressos de passeios e atrações em Amsterdam 

Planeje aqui a sua viagem!

SEGURO DE VIAGEM: Seguro viagem com desconto para leitores do blog! Faça sua cotação na Seguros Promo para encontrar o seguro viagem com melhor preço. Leitores do blog tem 5% de desconto, além de poder parcelar no cartão em até 12x ou 5% a mais no boleto! Veja mais aqui.
HOTEL: Encontre promoções e reserve seu hotel pelo nosso parceiro Booking.
ALUGUEL DE CARRO: Compare preços nas melhores locadoras e reserve o carro na RentCars. A cobrança é feita em reais em qualquer local do mundo e você ainda vai poder dividir em 12x no cartão ou ter 5% de desconto no boleto.
CHIP DE CELULAR: Chip internacional pré pago para usar em 140 países com frete grátis para leitores do blog da EasySim. Veja mais.
PASSAGEM AÉREA: Promoções de passagens e compare os melhores preços na ViajaNet.
CÂMBIO: Moeda estrangeira com desconto especial para leitores do blog na Cotação. Veja mais.
INGRESSOS E ATRAÇÕES: Evite filas e já saia do Brasil com ingressos de museus, passeios e atrações pela Ticketbar. Veja mais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, coloque seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui